Lygia Clark: The Abandonment of Art, 1948–1988

Lygia Clark. _Obra mole (Soft work)_. 1964 (re-created 2012)

Lygia Clark. Obra mole (Soft work). 1964 (re-created 2012)

Rubber
Variable dimensions
Courtesy Associação Cultural “O Mundo de Lygia Clark”

Narrador: Essa é uma réplica de uma peça chamada Obra-mole. É parte de uma série que Lygia Clark intitulou Trepantes, para destacar seu caráter orgânico. Ela é feita de borracha para dar fluidez e mobilidade.

Luis Perez-Orama: O trabalho não tem uma forma determinada. Ele não tem uma estrutura determinada, mas não se sustenta sozinho. Ele realmente precisa se apoiar em algo, e de lá desabar, desdobrar, cair. Essa suavidade é importante para Lygia Clark. E essas esculturas foram concebidas como trabalhos participativos.

Narrador: Para ela, esse era um novo passo para criar trabalhos que se fundiriam com os corpos das pessoas que interagem com elas.

Luis Perez-Orama: Isto é, buscando por um corpo coletivo, como ela vai chamar mais tarde uma de suas proposições performativas e participativas.

0:00
3 / 38